William Shakespeare

     

   Autores

   
Obras do Autor
   
Dramaturgo e poeta inglês (1564-1616) teve suas obras, traduzidas e apresentadas em todas as partes do mundo, tornando-o o mais célebre dos escritores ingleses.
Sabe-se que já trabalhava no teatro londrino em torno de 1592, porém nada se conhece a respeito de sua educação ou profissão anteriores. Como ator e autor, trabalhou para a Companhia de Lord Chamberlain (conhecida, a partir de 1603, como Companhia Real), o grupo mais importante a ocupar, desde 1599, o Globe Theatre, do qual era sócio.

A consagração de Shakespeare deve-se a seus notáveis e complexos personagens, à dinâmica de suas peças, obtida através da alternância de cenas curtas e rápidas, e, acima de tudo, à sutil e extraordinária riqueza de seus versos brancos, que apresentam metáforas profundas e retórica elaborada.

William Shakespeare é autor (ou co-autor) de 38 peças conhecidas, que dividem sua carreira em aproximadamente quatro períodos:
No primeiro, compreendido até 1594, Shakespeare escreveu diferentes tipos de comédias, tais como O Esforço do Amor Perdido, A Comédia dos Erros, Os Dois Cavaleiros de Verona e A Megera Domada. A abordagem da história da Inglaterra, por ele elaborada em suas obras, teve início com primeira tetralogia, que compreende Henrique IV (em três partes) e Ricardo III. A sangrenta Titus Andronicus é sua primeira tragédia.
Entre 1594 e 1599, permaneceu concentrando-se em comédias e peças históricas. As comédias deste período -- Sonho de uma Noite de Verão, As Alegres Comadres de Windsor, O Mercador de Veneza, Como Gostais e Muito Barulho por Nada -- são produto de sua melhor inspiração ''romântica'', enquanto o domínio completo da narrativa aparece na segunda tetralogia: Ricardo III, Henrique IV (em duas partes) e Henrique V. Este período também inclui o drama histórico Rei João e a tragédia sentimental Romeu e Julieta.
Na terceira fase, entre 1599 e 1608, Shakespeare abandonou a comédia romântica (exceto por A Noite de Reis) e a história inglesa, passando a produzir tragédias, peças de humor negro ou episódicas, como Medida por Medida, Tudo Está Bem quando Acaba Bem e Troilus e Criseida. De um modo geral, Rei Lear, Macbeth, Hamlet e Otelo são consideradas suas quatro maiores tragédias, embora um segundo grupo de ''peças romanas'' se caracterize por presenças igualmente notáveis, como Antonio e Cleópatra, Júlio César e Coriolano. A esta fase também pertence Timon de Atenas, possivelmente escrita em parceria com Thomas Middleton (c.1580-1627).
A fase final da produção shakespeariana, que compreende o período entre 1608 e 1613, é dominada por um novo estilo de comédia, que aborda temas como a perda e a reconciliação: Péricles, Cimbelina, Conto de Inverno e A Tempestade, conhecidas como seus últimos trabalhos românticos. Acredita-se que Shakespeare tenha colaborado, a partir de 1613, com John Fletcher (1579-1625) em Henrique VIII e em Dois Nobres Reais.
   
Affonso Romano de Sant`Anna
Afonso Rodrigues de Aquino
Albert Pike
Alberto José Marchi Macedo
Alejandro Maciel
Almir Correia
Anne Brontë
Bram Stoker
Celso Abrahão
Charles Dickens
Charlotte Brontë
Christopher Knight
Cláudio Cruz
Dante Alighieri
Eça de Queirós
Elizabeth Gaskell
Emily Brontë
F. Scott Fitzgerald
Fábio Cyrino
Fernando Klein
Gaston Leroux
Guy de Maupassant
Henry James
Henryk Sienkiewicz
Herman Melville
Jane Austen
Johann Wolfgang von Goethe
John Buchan
John Donne
Jonas Ribeiro
José Castellani
Joseph Conrad
Jules Verne
L Frank Baum
Lew Wallace
Ligia Maria F. Cyrino
Luís Vaz de Camões
Márcio Tadeu Anhaia de Lemos
Mary Shelley
Oscar Wilde
Percy Shelley
Regina Drummond
Ricardo Maffia
Richard Francis Burton
Robert Lomas
Robert Louis Stevenson
Rudyard Kipling
Sérgio Olímpio Gomes
Tânia Mara Marques Granato
Thomas Carlyle
Vasco Graça Moura
Virginia Woolf
Vitor Alexandre Chnee
William Shakespeare