Eça de Queirós

     

   Autores

   
Obras do Autor

   Obras Impressas

O Primo Basílio

   
José Maria de Eça de Queirós nasceu em novembro de 1845, em Póvoa de Varzim, filho de José Maria Teixeira de Queirós, nascido no Rio de Janeiro, em 1820, e de Carolina Augusta Pereira d''Eça, nascida em Monção, em 1826. Seus pais perticiam à nova burguesia portuguesa, convivendo com artistas, políticos e embaixadores entre eles, o escritor Camilo Castelo Branco.

Eça de Queirós estudou na Universidade de Coimbra e foi um dos principais amigos do escritor Antero de Quental. Seus primeiros trabalhos, publicados avulso na revista "Gazeta de Portugal", foram depois copilados em livro, publicado postumamente com o título "Prosas Bárbaras".

Em 1866, Eça de Queirós terminou sua Licenciatura em Direito na Universidade de Coimbra e passou a viver em Lisboa, exercendo advocacia e jornalismo, sendo diretor do periódico "O Distrito de Évora", apesar de continuar a colaborar esporadicamente com outros jornais e revistas durante toda a vida.

Entre 1869 e 1870, Eça de Queirós fez uma viagem de seis semanas ao Oriente (de 23 de outubro de 1869 a 3 de janeiro de 1870, em companhia de D. Luís de Castro, 5.º Conde de Resende, irmão da sua futura mulher, Emília de Castro), tendo assistido no Egito à inauguração do canal do Suez e visitado a Palestina e Israel. Durante suas viagens, coletou uma série de notas de viagem para alguns dos seus trabalhos, o mais notável dos quais sendo "O mistério da Estrada de Sintra", em 1870, e "A relíquia", publicado em 1887.

Em 1870 ingressou na Administração Pública, sendo nomeado administrador do Concelho de Leiria. Foi enquanto permaneceu nesta cidade, que Eça de Queirós escreveu a sua primeira novela realista, "O Crime do Padre Amaro", publicada em 1875. Tendo ingressado na carreira diplomática, em 1873 foi nomeado cônsul de Portugal em Havana, Cuba. Os anos mais produtivos de sua carreira literária foram passados em Inglaterra, entre 1874 e 1878, durante os quais exerceu o cargo de cônsul em Newcastle e em Bristol. Escreveu ali alguns dos seus trabalhos mais importantes, como "A Capital", escrito numa prosa plena de realismo e "O Primo Basílio". Manteve a sua atividade jornalística, publicando esporadicamente no Diário de Notícias, em Lisboa, a rubrica "Cartas de Inglaterra". Mais tarde, em 1888 seria nomeado cônsul em Paris e recebeu o título de membro correspondente da Academia Brasileira de Letras.

Seu último livro foi "A Ilustre Casa de Ramires", sobre um fidalgo do século 19 com problemas para se reconciliar com a grandeza de sua linhagem. É um romance imaginativo, entremeado com capítulos de uma aventura de vingança bárbara que se passa no século 12, escrita por Gonçalo Mendes Ramires, o protagonista. Trata-se da novela "A Torre de D. Ramires", em que antepassados de Gonçalo são retratados como torres de honra sanguínea, que contrastam com a lassidão moral e intelectual do rapaz.

Morreu em 16 de Agosto de 1900, em sua casa de Neuilly, perto de Paris, recebendo funeral de Estado. Está sepultado em Santa Cruz do Douro.

Foi também o autor da "Correspondência de Fradique Mendes", obra cuja elaboração foi concluída pelo filho e publicada, postumamente, em 1925. Fradique Mendes, aventureiro fictício imaginado por Eça e Ramalho Ortigão, aparece também no Mistério da Estrada de Sintra. Seus trabalhos foram traduzidos em aproximadamente vinte línguas.
   
Affonso Romano de Sant`Anna
Afonso Rodrigues de Aquino
Albert Pike
Alberto José Marchi Macedo
Alejandro Maciel
Almir Correia
Anne Brontë
Bram Stoker
Celso Abrahão
Charles Dickens
Charlotte Brontë
Christopher Knight
Cláudio Cruz
Dante Alighieri
Eça de Queirós
Elizabeth Gaskell
Emily Brontë
F. Scott Fitzgerald
Fábio Cyrino
Fernando Klein
Gaston Leroux
Guy de Maupassant
Henry James
Henryk Sienkiewicz
Herman Melville
Jane Austen
Johann Wolfgang von Goethe
John Buchan
John Donne
Jonas Ribeiro
José Castellani
Joseph Conrad
Jules Verne
L Frank Baum
Lew Wallace
Ligia Maria F. Cyrino
Márcio Tadeu Anhaia de Lemos
Mary Shelley
Oscar Wilde
Percy Shelley
Regina Drummond
Ricardo Maffia
Robert Lomas
Robert Louis Stevenson
Rudyard Kipling
Sérgio Olímpio Gomes
Tânia Mara Marques Granato
Thomas Carlyle
Vasco Graça Moura
Virginia Woolf
Vitor Alexandre Chnee
William Shakespeare