A Volta do Parafuso: The Turn of the Screw
A Volta do Parafuso: The Turn of the Screw
Autor
Henry James
Tradução e notas
Francisco Carlos Lopes
Adaptação
***************
Ilustrador
***************
Idioma
Português-Inglês
Lançamento
04/2011
Acabamento
Brochura
Formato
16cm x 23cm
Páginas
160
Peso
310 g
ISBN - Livros
ISBN 9788580700015
ISBN - Digital
ISBN 9788588781719
Compre Agora

Versão Física

Versão digital
Sinopse
A VOLTA DO PARAFUSO – THE TURN OF THE SCREW, de Henry James enquadra-se bem no gênero novela, em que o autor foi particularmente bem-sucedido, constituindo um paradigma desse formato. Em seu aparecimento, em quatro partes, nos primeiros meses de 1898, foi considerado como um dos maiores triunfos literários do autor, mas foi também tido como seu trabalho mais enigmático e controvertido. O célebre escritor Oscar Wilde declarou que a novela era uma pequena história maravilhosa, sinistra e peçonhenta. Fez enorme sucesso e tornou-se um dos trabalhos mais populares do autor.

Mas, A VOLTA DO PARAFUSO provocou polêmica, porque nunca ficou claro se a preceptora, que narra a história de um casal de crianças possuído pelos espíritos de um criado de quarto e de sua antecessora de sua função num casarão antigo em Bly, interior da Inglaterra, eram de fato reais ou apenas fruto de uma imaginação obsessiva. Pelo viés da análise freudiana da reprimida sexualidade da era vitoriana, a preceptora, cheia de romantismo exaltado e sem experiência sexual alguma, poderia ser vista como uma narradora altamente suspeita.

Em A Arte do Romance, um de seus trabalhos de crítica literária mais elogiados, o próprio Henry James, ao falar sobre a gênese de A VOLTA DO PARAFUSO, não se detém nesse aspecto, revelando apenas um desejo de tecer uma fantasia, como um conto de fadas, sobre uma remota história de fantasmas que lhe fora narrada, da qual conservara lembranças vagas. Nada indica que levasse fantasmas a sério e pensava mais, na qualidade de artista refinado em fazer uma incursão menos previsível por um gênero literário marcado pela fantasia. Considerava a novela um estudo sobre um ‘tom’ concebido, o tom de um problema suspeitado e sentido, de um tipo extraordinário e incalculável, o tom da trágica, mas requintada, perplexidade.
Compre em Nossos Parceiros

Conheça mais sobre Henry James


(1843-1916)

Foi um escritor nascido nos Estados Unidos e naturalizado britânico. Uma das principais figuras do realismo na literatura do século XIX. Autor de alguns dos romances, contos e críticas literárias mais importantes da Literatura de língua inglesa e filho do teólogo Henry James Senior e irmão do médico, filósofo e psicólogo William James.

A carreira literária de Henry James teve três etapas. A primeira ocorreu na década de 1870, com a publicação de duas de suas mais renomadas novelas “Daisy Miller”, de 1879 e “Retrato de uma Senhora”, de 1881, cujo tema é o confronto entre o novo mundo e os valores do velho continente. Na segunda etapa, James experimentou diversos temas e formas. De 1885 até 1890, escreveu três novelas de conteúdo político e social, histórias sobre reformadores e revolucionários que revelam a influência da corrente naturalista. Nos anos 1890-1895, chamados “os anos dramáticos”, James escreveu sete obras de teatro, das quais duas foram encenadas, com pouco êxito, o que fez com que James retornasse à narrativa. É desse período a publicação de “A Volta do Parafuso”, de 1898. A partir do início do século XX, iniciou-se a última etapa do trabalho de James, considerada por muitos críticos como a mais importante, quando o autor explorou o complexo funcionamento da consciência humana. A sua prosa tornou-se densa, com a sintaxe cada vez mais intrincada. Essas características definem as três grandes obras dessa etapa final, "As Asas da Pomba”, de 1902, “ Os Embaixadores”, de 1903 e “A Taça de Ouro”, de 1904. Além dos romances, relatos curtos e obras de teatro, o autor deixou inúmeros ensaios sobre viagens, críticas literárias, cartas, e três obras autobiográficas.

Os últimos anos da sua vida transcorreram em absoluto isolamento na sua casa, que só deixou em 1904 para regressar brevemente aos Estados Unidos depois de 20 anos de ausência. Em 1915, com a eclosão da Grande Guerra, James adotou a cidadania britânica. Morreu aos 72 anos, pouco depois de receber a Ordem do Mérito Britânica.



Do mesmo autor



EDITORA LANDMARK LTDA.
Rua Alfredo Pujol, 285 - 12º andar - Santana - 02017-010 – São Paulo - SP - Brasil
Tel.: +55 (11) 2711 2566 / 2950 9095

[email protected]