A Moradora de Wildfell Hall: The Tenant of Wildfell Hall
A Moradora de Wildfell Hall: The Tenant of Wildfell Hall
Autor
Anne Brontë
Tradução e notas
Marcella Furtado
Adaptação
***************
Ilustrador
***************
Idioma
Português-Inglês
Lançamento
06/2008
Acabamento
Brochura
Formato
16cm x 23cm
Páginas
368
Peso
700 g
ISBN - Livros
ISBN 9788588781375
ISBN - Digital
ISBN 9788588781627
Compre Agora

Versão Física

Versão digital
Sinopse
A importância do romance vai além das barreiras da literatura, a obra levanta a questão do papel da mulher em plena Inglaterra na Era Vitoriana. Helen apaixona-se por Arthur Huntingdon, vai contra a opinião de sua família e sofre as conseqüências de um casamento com um homem desregrado e infiel. Mesmo apoiada fervorosamente na religião, com o desejo de superar e corrigir os maus hábitos de Arthur, Helen não obtém êxito na tentativa de livrar o marido do álcool e do ritmo justificado por ele como uma espécie de carpe diem. Com a ajuda de Frederick, irmão de Helen, uma fuga é arquitetada e Arthur abandonado. A protagonista consegue se estabelecer sob o anonimato em outra cidade, onde conhece alguém que poderá recompensar todo sofrimento e reconhecer a luta pelo destino.

O conflito entre puritanismo e liberdade que cercava a moral vitoriana é refletido na trama que recebeu excelentes críticas. Feminismo, luta pelo destino, novo posicionamento da mulher e religião são retratados por Anne, na Inglaterra do século XIX, que assinou o romance com o pseudônimo Acton Bell (bem como em outros pequenos trabalhos e poesias), pois além do conteúdo classificado como impróprio para mulheres, não era apropriado ao gênero que escrevessem livros.

A MORADORA DE WILDFELL HALL é dividida em três partes, a primeira e a terceira são compostas por escritos dos personagens e a segunda parte lê-se o diário de Helen. Os atos moldam cada personagem, tornando a linguagem ágil e viva neste clássico da literatura inglesa inédito no Brasil.
Compre em Nossos Parceiros

Conheça mais sobre Anne Brontë


(1820-1849)

Escritora inglesa, exímia desenhista e a mais jovem das famosas Irmãs Brontë, tornou-se especialmente ligada às irmãs e juntas criaram um mundo imaginário com personagens e situações, fonte de numerosos poemas. Do mesmo modo que as irmãs Charlotte e Emily, logo procurou contribuir para as finanças domésticas. Como filha bem instruída do clérigo local obteve uma posição respeitável como governanta após o término dos estudos.

A escritora casou-se tarde, poucos meses antes da sua morte. No entanto, tinha uma inspiração muito próxima de si para criar alguns de seus personagens. Especula-se que o incorrigível Arthur Huntingdon seja um retrato do irmão Branwell, também poeta (que ainda inspiraria a irmã Charlotte em “Jane Eyre”). Anne possuía um espírito profundamente apaixonado e extremamente espiritualizado, embora muitas vezes fosse vista como uma pessoa extremamente séria. Sempre teve que lidar com a doença e a depressão dentro da família, e embora tenha vivido brevemente, os seus romances e poemas têm sido sempre lidos, estudados e admirados desde sempre.

Faleceu vitimada pela tuberculose, exatamente como as irmãs, sendo sepultada no cemitério da igreja de Santa Maria, em Scarborough. Em sua lápide, Charlotte, que viveu apenas mais seis anos além da irmã, mandou gravar um pequeno poema dedicado à Anne, onde declara que o Firmamento agora está mais feliz com a presença de Anne junto de Deus e que só resta aos homens que aqui permaneceram a escuridão e a decadência.(1820-1849)

Escritora inglesa, exímia desenhista e a mais jovem das famosas Irmãs Brontë, tornou-se especialmente ligada às irmãs e juntas criaram um mundo imaginário com personagens e situações, fonte de numerosos poemas. Do mesmo modo que as irmãs Charlotte e Emily, logo procurou contribuir para as finanças domésticas. Como filha bem instruída do clérigo local obteve uma posição respeitável como governanta após o término dos estudos.

A escritora casou-se tarde, poucos meses antes da sua morte. No entanto, tinha uma inspiração muito próxima de si para criar alguns de seus personagens. Especula-se que o incorrigível Arthur Huntingdon seja um retrato do irmão Branwell, também poeta (que ainda inspiraria a irmã Charlotte em “Jane Eyre”). Anne possuía um espírito profundamente apaixonado e extremamente espiritualizado, embora muitas vezes fosse vista como uma pessoa extremamente séria. Sempre teve que lidar com a doença e a depressão dentro da família, e embora tenha vivido brevemente, os seus romances e poemas têm sido sempre lidos, estudados e admirados desde sempre.

Faleceu vitimada pela tuberculose, exatamente como as irmãs, sendo sepultada no cemitério da igreja de Santa Maria, em Scarborough. Em sua lápide, Charlotte, que viveu apenas mais seis anos além da irmã, mandou gravar um pequeno poema dedicado à Anne, onde declara que o Firmamento agora está mais feliz com a presença de Anne junto de Deus e que só resta aos homens que aqui permaneceram a escuridão e a decadência.



Do mesmo autor



EDITORA LANDMARK LTDA.
Rua Alfredo Pujol, 285 - 12º andar - Santana - 02017-010 – São Paulo - SP - Brasil
Tel.: +55 (11) 2711 2566 / 2950 9095

[email protected]